Lilian Amaral

Lilian do Amaral Nunes. é Artista Visual, Pesquisadora e Curadora Independente. É Pós-Doutora em Arte e Cultura Visual pela Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás e Pós-Doutora em Arte, Ciência e Tecnologia pelo IA/UNESP. É Doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da ...

Leia Mais →

Lilian do Amaral Nunes. é Artista Visual, Pesquisadora e Curadora Independente. É Pós-Doutora em Arte e Cultura Visual pela Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás e Pós-Doutora em Arte, Ciência e Tecnologia pelo IA/UNESP. É Doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e Universidade Complutense de Madrid / Espanha, Mestre em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Pesquisadora no Grupo Internacional e Interinstitucional de Pesquisa em Convergência entre Arte, Ciência e Tecnologia – IA/UNESP, Membro do Grupo de Pesquisa BR  AC, Barcelona Recerca Arte Contemporàni; Diretora e membro do Comitê Científico do I e II Congresso Internacional de Educação Patrimonial, Ministério da Cultura da Espanha / Observatório de Educação Patrimonial; Curadora do Festival Internacional Transperformance; Coordenadora do projeto de Extensão R.U.A.: Cartografias Inventadas: São Paulo, Barcelona, Montemor-o-Novo;Curadora do Projeto Cartografias Artísticas Contemporâneas, Galeria do Memorial da América Latina, articulada ao projeto de Pesquisa R.U.A.: Realidade urbana Aumentada. É Professora visitante das Universidades de Barcelona, Politécnica de Valência, do Máster Interuniversitário de Artes Visuales y Educación, Universidade de Girona e da Universidade Complutense de Madrid-Es e da Academia de Bellas Artes de Foggia-IT. Ministra conferências, cursos e workshops relacionados à revitalização urbana, memória, imaginário social e práticas artísticas colaborativas. Possui extensa produção de Vídeos e Documentários apresentados no Brasil e exterior.É Pesquisadora no Campo da Museologia Urbana Contemporânea com ênfase em Curadoria e processos colaborativos, Arte Pública, Preservação do Patrimônio Material e Imaterial, Educação Patrimonial e Cidades Criativas.

Lilian vê a cidade como um lugar de coleções, de histórias, de gente… Assim, estuda a cidade a partir da relação com seus fragmentos.Para ela o museu é como um espaço poroso, que se justifica na sua relação com o público urbano; a arte precisa fazer sentido na vida das pessoas para que elas possam sereinventar a partir da potencialidade da criação. A potência de que fala é aquilo que sentimos quando não cabemos mais em nós e nesse sentido a arte-educação é para ela, mais precisamente, possibilidade do processo de transformação individual, coletiva e social. Para Lilian a arte é experiência, experimento, laboratório de imagens, de investigação dos movimentos do corpo, de linguagem e de fala.